5 de setembro de 2010

REBLOGADO: Olho Presente

=OlhO Presente= 

O piritubano Vik Muniz diz que só O olho capta o presente.


Pensando em Osman Lins, e suas complexas reflexões sobre a natureza da arte e a superioridade da estilização (contra o chamado realismo), chega-me súbita percepção:


Só o olho (os sentidos) é capaz de chegar o mais perto de um conceito digno de ser chamado "realidade". Quando você abre a boca para falar, ainda que descreva ao vivo,já não é mais real. É palavra. É conceito. 


Duas pessoas olhando, ao mesmo tempo, para a lua, independente de onde estejam, vêem um mesmo e único satélite. Mas, na cabeça deles, as imagens que derivam, as impressões que poderiam querer expressar, são tão distantes, tão dissimulantes... quanto eles próprios são, realmente, duas pessoas diferentes.
-
A distância é tão boa quanto a proximidade para analisar um objeto. Mas uma análise a DISTÂNCIA é em tudo diferente, e com outros resultados, de uma realizada com a possibilidade do TOQUE ou da identificação mútua.
-
O amor é tão bom quanto o ódio. Por vezes leva aos mesmos resultados. Mas seguem caminhos em tudo diferentes. Não se confundem de maneira alguma.
-
A realidade é Um 

"Falada, amada, odiada por outro Um... "
 já não é mais realidade.

p.s.:
Somos todos personagens (traços estilizados) na mente dos outros
-
Imagine... o que é a multidão na cabeça do indivíduo?
& o que é Um, no meio da multidão? 


Outro.

original de 06/10/2003 


Achei no antigo blog: http://urfabio.blogger.com.br/2004_01_01_archive.html
Data: 10.1.04


Fábio R.
Postar um comentário

Pesquisa