29 de junho de 2007

Conversa que ouvi sobre Kafka

Foi nestes dias. Rara oportunidade. Ouvi um homem simples do povo - não era um intelectual de faculdade, mas uma pessoa comum, com seus dentes estragados e roupas surradas mas que teve a oportunidade de desenvolver um apurado gosto por leituras. Discutia Kafka, Dostoievski, Shakespeare e Abjumra do programa Provocações.
Ele indicou para o técnico que arrumou minha tv a leitura do livro "O Processo". Clássico absoluto, leitura obrigatória. No entanto o que chamou minha intenção foi sua interpretação para esta obra. Para ele revela o homem acomodado, que tem tudo para ter um a ação social mas não faz nada, nem sequer se casa...
É uma interpretação possível. Este é o grande milagre da literatura. O leitor també cria a história. Por azar, quando li esta obra já havia lido algumas interpretações e terceiros, e falavam sobretudo sobre o "pecado original", judaísmo e o sistema legal. Mas há outras possíveis. Este homem simples do povo, leitor apurado, me lembrou disto. O Procesos merece releituras.

Abaixo, duas capas de livros - Um deles de Robert Crumb com sua interpretação do mestre Kafka:
Postar um comentário

Pesquisa