25 de março de 2006

O Professor Luisinho

Mensagem recebida da revista JORNAL VIRTUAL DO PROFESSOR:

Há duas semanas recebi dele um artigo genial, o qual disponibilizo para os leitores deste Jornal Virtual. Chama-se O
Professor.

“— Pai, quem é aquele homem na TV?

— É o professor Luizinho, meu filho.

— Professor? E ele dá aula de quê?

— Ele não dá aula, meu filho. Ele é
político.
Professor é o nome dele. Na verdade, apelido. O nome
é
Luiz.

— Mas se ele não dá aula, não devia
se
chamar “professor”.

— É que antes de ser político ele era
professor,
meu filho...

— Ah. Ser professor é legal, né? Quando eu
crescer
quero ser professor. Olha como ele tá feliz...

— É. Ele foi absolvido. Perdoado. Inocentado.

— O que ele fez?

— Foi acusado de pegar um dinheiro que não era
dele.

— E pegou?

— Pegou.

— Então ele é culpado!

— É. Mas foi inocentado. E agora está
feliz.

— Quem inocentou?

— Os colegas.

— Professores?

— Não, políticos.

— Se fossem professores não inocentavam.

— Como é que você sabe, meu filho?

— Ah! Meus professores, quando pegam um aluno que roubou
o
lápis do outro, levam pra diretoria. Dizem que quem
rouba
não merece respeito.

— ...

— Pai?

— Oi, filho.

— O que é melhor ser, professor ou
político?

— Ah, filho, depende. Professores educam.
Políticos
fazem leis, representam o povo.

— O professor Luizinho representa você?

— Eu? Eu não, Deus me livre! Não votei
nele.

— Então, ele representa quem?

— Outras pessoas, que votaram nele.

— Essas pessoas sabiam que ele pega dinheiro que
não
é dele?

— Não sei. Acho que não.

— Pai?

— Oi, filho.

— Quem ganha mais dinheiro, professores ou
políticos?

— Ah, os políticos. Muito mais!

— Então, não entendi.

— O que, meu filho?

— Se como político o Luizinho ganha muito mais
dinheiro
do que como professor, pra que ele pegou o dinheiro?

— ...

— Pai?

— O que é, filho?

— Quando deixar de ser político, o Luizinho vai
voltar
a ser professor?

— Não sei, filho. Talvez.

— Então vou rezar pro Papai do Céu.

— Pra que, filho?

— Pra que ele não venha dar aula na minha
escola...”


Boa semana e boas aulas.


Júlio
Clebsch

Postar um comentário

Pesquisa