13 de maio de 2008

Projeto Espraiar

PROJETO ESPRAIAR: Inclusão digital, formação profissional e intervenção social na comunidade Jardim do Russo, bairro Perus

PROPOSTA

Está definido assim no dicionário: v.t. Lançar à praia: detritos que o mar espraiara ali. / — V.i.. e v.pr. Deixar a praia a descoberto; estender-se pela praia: a maré espraiava(-se) longamente; as ondas crescem e espraiam(-se) até as calçadas. / — V.pr. Fig. Derramar-se, estender-se; alastrar-se, expandir-se, propagar-se.

Em Perus nós não temos praia. Temos a feiúra do lixão, chamado de Aterro Sanitário Bandeirantes; temos um gigantesco cemitério, famoso por ter sido local de desova de corpos de “desaparecidos” na ditadura; ainda temos pedreiras funcionando; temos a beleza da reserva Anhanguera; mas também temos um monumento histórico abandonado, a Fábrica de Cimento Portland.

Perus tem muita história para contar e uma população cheia de necessidades prementes. Boa parte da população do bairro reside em casas inadequadas, localizadas em favelas. Uma das mais famosas é a Recanto dos Humildes, outra conhecida está localizada no Jardim do Russo.

O projeto aqui proposto pretende se iniciar no Jardim do Russo, podendo, como o nome sugere, espraiar-se por toda a região. Tanto o início do projeto quanto sua disseminação será feito em combinação e com apoio das escolas públicas locais, começando pela escola municipal Fernando Gracioso.

ESTRUTURA

Este projeto se apresenta como uma parceria público privada, dedicada a preparar os jovens da localidade tanto no sentido profissional quanto político.

A preparação profissional será através da formação para o uso e a manutenção de computadores.

A preparação política, no sentido de formar pessoas capazes de interferirem na sociedade, se dará através de atividades de educomunicação, onde estes mesmos jovens irão conhecer sua região, produzir materiais jornalísticos amadores e divulgarem as idéias que têm para resolverem os problemas que eles identificarão.

MODELOS

Nossos modelos são os projetos da Prefeitura de São Paulo:

1- Salas de Informática Educativa, com a atuação de alunos monitores. Este projeto é coordenado por Lia Paraventi, do dot/sme. Para mais informações consultar o portal http://educarede.org.br.

2- Imprensa jovem do projeto Nas Ondas do Rádio, coordenado por Carlos Alberto Mendes de lima. Para mais informações consultar http://blogandonasondasdoradio.blogspot.com .

Além destes também aproveitaremos a metodologia de formação de alunos monitores da Microsoft Educação, disponibilizada no site: http://www.alunomonitor.com.br/ .

OBJETIVO

Além de trabalhar com a formação do aluno como usuário avançado de computadores, desejamos trabalhar com a parte física das máquinas, ensinado os alunos a desmontarem, montarem e recuperarem computadores, formando um ciclo de reinserção de máquinas doadas na sociedade e preparando os jovens para atuarem como técnicos no sentido pleno.

Não se restringindo à formação técnica, e seguindo o modelo proposto pela prefeitura de São Paulo, nossos alunos realizarão pesquisas em seu local de moradia, identificando os problemas da região e buscando soluções. Todas as suas pesquisas serão documentadas em um site/blog, assim como seus avanços técnicos e profissionais. Este site será organizado por professores e editado pelos próprios jovens estudantes.

ESPAÇO

Pretendemos negociar um espaço na própria unidade escolar Fernando Gracioso, que pode ser simplesmente uma sala de aula ociosa. Caso o projeto tenha sucesso, solicitaremos salas em outras escolas.

Caso a unidade escolar não tenha espaço disponível, temos condição de negociar espaço na Paróquia São José, vizinha da escola.

Outras parcerias podem ser negociadas com lideranças locais, como a Dona Nadir, que mantêm a ONG Centro de Apoio Comunitário de Perus. Ver o site: http://www.cacp.com.br/ .

PÚBLICO ALVO

Jovens entre 13 e 18 anos, fora do mercado do trabalho e que estejam matriculados em escolas públicas da região, com preferência para os alunos e ex-alunos da própria escola suporte para o projeto.

PROFESSORES

Os formadores dos jovens serão seus próprios professores de escola e técnicos da comunidade, atuando de maneira voluntária.

Num segundo momento os jovens, já formados, irão ensinar seus colegas, criando uma rede de aprendizagem colaborativa que realmente irá se espraiar.

Nossa intenção é que os jovens que atuem como tutores recebam uma ajuda de custo, que poderá ser um salário mínimo, e condições de apoio e financiamento para que, aqueles que ainda não possuam, tenham condição de adquirir seu próprio computador.

RECURSOS NECESSÁRIOS

Como pretendemos conseguir um espaço cedido, o custo do projeto será o equipamento e uma verba para manutenção dos equipamentos e subsídios para os alunos monitores instrutores, que irão ensinar seus colegas.

EQUIPAMENTOS SUGERIDOS PARA O CURSO

Achamos que 10 máquinas de ponta, funcionando com sistema operacional Linux Ubuntu é suficiente para a formação técnica dos jovens como usuários.

Estas máquinas precisarão dispor de conexão rápida à internet, independente da conexão da escola, que na verdade não é suficiente para suas necessidades. Sugerimos a instalação de um sistema de internet wireless, sem fio; de forma que estas 10 máquinas precisarão dispor de uma placa de wireless já instaladas.

Configuração sugerida: processador quad-core, HD de 250 gigas, placa de vídeo offboard, placa de TV, memória RAM de 2 gb, monitor LCD de 19 polegadas, placa wireless, webcam (se possível embutida no monitor), fone de ouvido com microfone.

Caso se consiga a doação de licenças Microsoft para as máquinas, seria interessante, mesmo assim, que tais máquinas funcionassem com Linux em dual-boot; isto porque nem sempre os alunos disporão de licenças para instalarem programas em máquinas recuperadas, sendo mais simples utilizar software livre.

Além disto desejamos pelo menos 10 máquinas usadas, que podem ser coletadas como doação, que servirão para os estudos dos jovens na desmontagem, montagem e recuperação de computadores.

Para realizar o curso de recuperação de computadores precisaremos de um conjunto de peças novas: HD, pente de memória, cdrom, placa mãe, processadores.

Como nossa intenção é também formar jovens críticos e documentar os problemas da região, precisamos dispor também dos seguintes equipamentos: gravador de áudio mp3 (sugerimos o modelo da Panasonic) e filmadora de vídeo digital (sugerimos o modelo da Cano, FX 100, que possui entrada para microfone e conexão USB).

FISCALIZAÇÃO

Todo o projeto será documentado em áudio, vídeo e texto, materiais que ficarão disponíveis no site/blog do projeto. Indicamos um endereço disponível no portal multiply: http://espraiar.multiply.com/ . Relatórios periódicos serão feitos pela equipe de gestão do projeto, incluindo os professores e alunos monitores.

AVALIAÇÃO

Todos os jovens inscritos no projeto terão sua aprendizagem avaliada através do portal http://www.alunomonitor.com.br/ , e irão se auto avaliar, escrevendo relatórios semanais que serão publicados no site /blog do projeto.

Postar um comentário

Pesquisa