7 de dezembro de 2008

Poema: Tão longe de mim

Mesmo se

O que eu tivesse tentado

Já valeu - não valeu não

Mas meus passos me levam tão longe

Sem querer

Encontrar você

Ainda que

Amor nada valesse

Já morreu - não morreu não

Só amorteceu a felicidade em meu coração

Quando seu olhar

Translada por mim

Perco o eixo nem sei

Como ainda não me joguei em ti

Acelera

Na verdade

Já estou por cair

É tudo precipício a parca fé

Sei que a desilusão faz pesar

Até minha roupa

Até minha esperança pesa

E o amanhã - é tão pouco esperado

E a liberdade - é tão falsa verdade

A Alegria - tão longe de mim...

Tão longe de mim,,,

FRN - 29-JAN-2001

Postar um comentário

Pesquisa