10 de junho de 2008

Meu projeto final para curso de Conselheiro em Direitos Humanos

Tema : Criança e Adolescente
Segmento : Promoção dos Direitos Humanos
Ações : O direito à educação;
Desenvolvimento da atividade
Passo 1
a) Cite pelo menos três (3) aspectos do curso que você observou como mais relevantes para sua atuação como conselheiro em direitos humanos e justifique cada item citado.
1. Conscientização sobre os direitos garantidos
Justificativa: Muitas vezes as pessoas não sabem os direitos garantidos por lei. O curso respaldo o conselheiro para informar e orientar a população.

2. Provocação para a atuação crítica
Justificativa: O curso também mostra o precisa ser feito para que realmente haja justiça e igualdade no mundo e especialmente no Brasil. O conselheiro que seguiu atentamente o curso não pode mais aceitar acriticamente as notícias e as estatísticas documentadas.

3.Perseber a necessidade de um trabalho organizado
Justificativa: Muitas vezes os direitos humanos não são garantidos por falta de organização da sociedade como um todo, seja do povo, seja dos órgãos representantes, seja do poder constituído. O conselheiro tem condições de orientar indivíduos e organização para agir de forma organizada e garantir o respeito aos direitos já adquiridos ou lutar por novos direitos.
b) Que conteúdos/temas você considera essenciais para a formação de um bom conselheiro em direitos humanos? Cite pelo menos três (3).
1.Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio - ODM
Justificativa: Um resumo prático e exposto de forma bonita e organizada. Serve com perfeição para explicar o que é direitos humanos e é uma propaganda capaz de motivar pessoas grupos e instituições, inclusive governos.

2.Participação e controle social na garantia dos direitos humanos
Justificativa: O grande interessado no respeito aos direitos humanos é o povo. Os governos constituidos muitas vezes têm outros interesses, devendo ser fiscalizados pela maioria para que comentam menos erros e acertem o mais possível.

3.Empoderamento, um desafio a ser enfrentado
Justificativa: O poder político deve ser dividido. Isso é essencial, um passo para a divisão das conquistas sociais, divisão menos injusta dos recursos econômicos e garantia de que o país seja gerido da melhor maneira, tanto no sentido político, quanto econômico e ecológico.
c) Quais as características básicas (perfil) que você considera imprescindíveis para que uma pessoa seja conselheiro/a em direitos humanos? Cite pelo menos três (3) e justifique resumidamente cada item.
1. Honestidade
Justificativa: Pois o conselheiro deve ser um modelo ético. Não precisa ser perfeito, mas não deve tomar decisões ou dar orientações movido por interesses particulares de qualquer tipo. O seu foco deve ser sempre o coletivo e a igualdade.

2. Respeito às diferenças
Justificativa: É meta essencial dos direitos humanos combater os preconceitos.Para tanto é preciso que o conselheiro compreenda o que é "preconceito" e o combata a todo momento, sempre. Mais do isto: é recomendável que o conselheiro entanda o que é diferença e ame a diferença.

3. Espirito combativo ou Coragem
Justificativa: O conselheiro não deve ter medo de enfrentar os poderosos ou provocar "maiorias"; deve mesmo ir contra o senso comum, não falar sempre o que se espere que ele fale, mas sim o que é correto. Deve ser um guerreiro da lei e até um guerreiro contra a lei, quando esta não estiver de acordo com os verdadeiros direitos humanos.
Passo 2
a) O que você destacaria como limites e dificuldades na implementação dos direitos humanos na subprefeitura, distrito, bairro ou comunidade (área) onde atua? Para cada item, justifique sinteticamente
1. Empoderamento através da Inclusão digital
Justificativa: Na escola onde trabalho, EMEF Fernando Gracioso, há empenho de professores, alunos e direção na articulação de projetos de protagonismo juvenil, alunos-monitores na sala de informática, Nas Ondas do Rádio de rádio escolar e outros.

2.Educadores preocupados com uma formação crítica
Justificativa: Nossos professores têm consciência política e social, sabem que não basta ensinar os conteúdos padrões, mas preparar os alunos para não terem preconceitos e lutarem por seus direitos.

3. Conselho de Escola
Justificativa: Ainda falta muita formação política para ser tudo o que pode - mas já é um órgão importante de fiscalização e organização da escola, integrado também pela parte mais interessada: estudantes e seus responsáveis.
b) O que você destacaria de elementos positivos nas ações de implementação dos direitos humanos na área onde você atua. Cite pelo menos três (3) e justifique sinteticamente cada um deles.
1. Empoderamento através da Inclusão digital
Justificativa: Na escola onde trabalho, EMEF Fernando Gracioso, há empenho de professores, alunos e direção na articulação de projetos de protagonismo juvenil, alunos-monitores na sala de informática, Nas Ondas do Rádio de rádio escolar e outros.

2.Educadores preocupados com uma formação crítica
Justificativa: Nossos professores têm consciência política e social, sabem que não basta ensinar os conteúdos padrões, mas preparar os alunos para não terem preconceitos e lutarem por seus direitos.

3. Conselho de Escola
Justificativa: Ainda falta muita formação política para ser tudo o que pode - mas já é um órgão importante de fiscalização e organização da escola, integrado também pela parte mais interessada: estudantes e seus responsáveis.
Desenhando um Projeto Final
1. Escolha da dificuldade a ser superada
A partir da identificação dos limites e dificuldades (problemas) da ÁREA/ UNIDADE DE TRABALHO ou LOCAL ESCOLHIDO, apontados na parte 2 desta atividade, escolha uma dificuldade (problema) para elaborar uma iniciativa que você considera necessária para a sua superação.
Investimento na organização do conselho escolar e do gremio estudantil, ampliando o poder destes órgãos, os tornando realmente instancias fiscalizadoras e os integrando aos demais projetos de protagonismo juvenil da escola: sala de informática com alunos monitores e Nas Ondas do Rádio (rádio escolar).

A dificuldade será enfrentar o preconceito de que os jovens não possuem consciência política ou não sabem como usar o poder que possuem.
2. Público Alvo do Projeto
Crianças e adolescentes (até 18 anos)
3. Definição do Objetivo
Qual (is) o(s) objetivo(s) dessa iniciativa?
O que se quer mudar?
O que se pretende alcançar com a realização deste Projeto?
A intenção é realmente "empoderar" a juventude da escola e, através dela, dar real poder para toda a comunidade atendida. Com isto mudaremos o olhar preconceituoso de que o povo precisa de ajuda, na verdade o povo é a verdadeira força capaz de mudar nosso país e resolver seus próprios problemas.

Este projeto pretende criar uma escola realmente aberta, democrática e moderna.
4. Descrição das ações
Pense em um PROJETO FINAL realista, viável e coerente com os recursos existentes.
O que vamos fazer? Como vamos fazer?
Vamos começar convocando todos os alunos para reunião de discussão; esta reuniões serão acompanhadas de atividades lúdicas, capazes de conscientizar e motivas. Depois os alunos mais interessados serão orientados a se organizarem em grupos de estudo. Com o tempo, estes grupos formularão propostas de interferência na escola - que serão defendicas pelo gremio estudantil e nos conselhos de escola.
5. Responsáveis
Quem são as pessoas / órgãos responsáveis por cada uma das ações?
As pessoas mais aptas a organizarem estas ações são os próprios professores dos alunos. É claro que alguns serão resistentes, mas deverão ficar mais abertos à medida que virem os resultados. A direção da escola deve ter consciência da importância deste trabalho de abertura do poder, levando a uma gestão mais democrática e eficiente.
6. Análise da situação
Descreva:

  • A importância da superação desta dificuldade para os direitos humanos e para a comunidade;
  • Causas possíveis, origens e fatores que geraram a dificuldade selecionada;
  • Informações necessárias/ coleta de dados;
  • Experiências acumuladas pelos atores envolvidos.
- A comunidade como um todo pode, finalmente, descobrir o que é direitos humanos e o que é gestão democrática. Muitos pensam que a política se resume a votar.

- A maior dificuldade da comunidade é a falta total de recursos: emprego, saneamento básico, educação de qualidade... e a exposição constante a violências, como mal cheiro de áreas poluídas, traficantes de drogas, pessoas deseducadas... A origem está na má distribuição de renda e na falta de assessoria do estado. Por isto mesmo a escola precisa ser mais ativa e formas jovens políticos interessados em mudarem este estado de coisas.

- A coleta de dados pode e deve ser feita pelos próprios estudantes - que entenderão a situação em que estão e como podem ajudar.

- Os professores da escola, que em sua maioria trabalham na região a bastante tempo, têm condição de auxiliar a parte mais interessada, os alunos e seus responsáveis - estes, mais do que ninguém, sabem o que sofrem.
7. Identifique possíveis parcerias para desenvolvimento de atividades conjuntas
- Escolas públicas da região
8. Recursos necessários
Quais ferramentas e recursos dispomos a curto e médio prazo?
Os melhores recursos são um informativo impresso, que nossa escola já começou a publicar, e a convocação de plenárias de discussões, combinadas com reuniões lúdicas dentro da escola, sobretudo em finais de semana.
9. Prazos / Tempo de realização
Descreva o tempo estimado para a implementação do projeto.
Creio que o projeto pode começar a mostrar resultados em 1 ano.

Mas sua implementação total envolve a revisão e implementação de um novo Projeto Político Pedagógico e a mobilização da comunidade com solicitações políticas para a comunidade. Pode levar até 4 anos para se consolidade esta posição combativa da comunidade, em aliança com a escola.

Postar um comentário

Pesquisa