18 de abril de 2008

O Motor e o eixo

É preciso não ser o motor. Esta reflexão que fiz há tempos, e vale sobretudo para a instituição escola, continua a me ser certeza hoje.

O motor pode ser forte para mover o mundo, mas o mundo gira muito melhor sozinho. Qualquer sistema que dependa de um motor, ainda que apenas para "acelerar", é muito frágil. Se o motor for embora ou falhar tudo pode ficar ainda pior do que era.

Penso agora que a melhor metáfora é o eixo. Esqueçam o valor depreciativo dado pelos nazis, nosso eixo serve para a construção e a articulação. Nosso eixo não tem um único centro. É um eixo moderno. Uma rede.

Mas toda rede possui seus pontos de distribuição, troca, inter-conexão. Busquemos isso.

Alguns poucos indivíduos podem fazer diferença, cito como exemplo na Prefeitura de São Paulo os POIES das Salas de Informática e os EDUCOMUNICADORES ligados ao programa "Nas Ondas do Rádio" de rádio escolar. Com o conhecimento e a capacidade de agregar destes profissionais; com o poder de motivação destas máquinas internet, computador, rádio camera, gravador... Com o novo espaço, fora ou dentro da escola, no pátio, na rua, em passeios de ônibus para todo canto ou on line no mundo inteiro.

É realmente possível abrir novos caminhos, caminhando com novas aprendizagens, com certeza com mais eficiência. Não é uma fórmula de milagre, mas acredito nisto. Não é preciso sacrifício, mas apenas dedicação de todos e certa habilidade de alguns em "articular" e "mover projetos" . O próprio mundo escola girando em seu eixo sem precisar de motor.


poie Fábio

Postar um comentário

Pesquisa